terça-feira, 11 de dezembro de 2012



REENCONTRO

Acomodo a dor da saudade
Numa espera...Quieta...

Mesmo meus olhos não vendo
Meu coração sente...E sente...
E nos reencontros
Basta meus olhos encontrar novamente
Com os olhos amados...

Toda emoção represada...
Reacende...
Machucando em revivência...
Dando prazer em revivência...

Pelos olhos deslizam um rio que corre mansamente...
Sua nascente é no coração ferido...

Suas águas lavam esta dor...
Doída...Sofrida...Saudosa...

Quisera estar entre seus braços...
Sentir o pulsar do seu coração...
Suas mãos deslizando pelos meus cabelos...

Tudo sem palavras...
Quando é grande demais o sentimento...
As palavras são desnecessárias...

Só basta o sentir...
O bem querer manso e doce...
Que envolve a nós dois...
Eu e você...

Corações batendo num mesmo compasso...
Ternamente...Eternamente...
EU...VOCÊ...
Um dia...
Sabemos disto...

                                         Maria da Graça
                                   10/12/2012 
                     

Ora reencontros... Ora desencontros...
Assim vamos vivendo nas muitas vidas...



2 comentários:

  1. Um amor terno e doce você mostrou nos versos. Basta, de fato, entrarmos mais uma vez nos olhos queridos, para que o tempo desapareça. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Esta saudade nada mais é...ausência presente...quanto amor que pulsa em seu coração...amor que daria a própria vida pela do ente querido...emocionante, minha boneca de porcelana!

    ResponderExcluir

"Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar." (Dalai Lama)